Forma ou revolução,um difícil dilema.
No tempo de Lenin, a revolução era a palavra de ordem, visto que existia uma ‘utopia iluminista’, em um estágio posterior às promessa iluminista do mundo do intelecto voltado para uma dialética social racionalista, assim como uma visão hierárquica do fordismo, que vai se tornar uma utopia na arquitetura, gerando essas caixas de fósforos,  ruas engarrafadas,desmatamentos(principalmente no leste europeu)e até poluição insuportável em moscou,etc.
Este modelo foi complementado por Stálin,que adotou o princípio de industrialização estatal e de cima para baixo, teses de Enrico Barone, que não era socialista, gerando um desenvolvimento sem igual na URSS, as custas de muito sacrifício.
Pois bem, o modelo fordista perdeu sua capacidade de acumular em 1980, sendo sua sobrevivência até aí devido a guerra, que salvou a economia da crise de 29. A URSS, beneficiária da vitória da grande guerra mundial, pode manter seu poder bélico, principalmente depois que conseguiu fabricar a bomba atômica; mas não pode manter seu desenvolvimento industrial, devido a guerra fria que dividiu o mundo em dois blocos.O resultado disso é que os EUA, devido ao domínio da América Latina (imperialismo), pode suportar, até um certo ponto, o custo desta guerra mais que a Urss. Todavia, veio um novo divisor de águas. O Japão, não podendo ter armas, não dispondo de um império e tendo acesso à novas tecnologias, desenvolveu um novo modelo de indústria automobilística de alta tecnologia, não precisando importar mão de obra; houve pressão das potências para que decidissem, mas mantiveram-se firmes, obrigando outros a segui-las. O resultado disso foi uma flexibilização da mão de obra, precarização, fazendo com que o antigo proletariado virasse, agora, um  precariato, sem trabalho fixo, má qualidade de sindicatos e,  mesmo, falta de representação sindical. Resultado, os sindicatos, para manterem empregos, voltaram-se para a negociação com o capital. Por isso vemos partidos comunistas fazendo alianças com ruralistas (pcdob, pt com a burguesia e o pc italiano com a moeda européia (o que queimou o filme deles, ou então sindicalistas colocando-se contra estudantes revolucionários). Da outra ponta do mundo da comunicação, surge, derivada de tecnologias bélicas, um sistema horizontal e vertical de comunicação, que vai prestar um grande serviço ao sistema financeiro, pois conectou o mundo em uma única economia, impossibilitando Estados de adotarem qualquer política de bem estar social, devido a fuga de indústrias, ou mandar produzir em um país onde a mão de obra é barata.
Por isto o Estado virou um fantoche nas mãos do capital financeiro,tornando-se uma armadilha para as esquerdas. Moral da história: entramos em um mundo onde a política partidária tornou-se obsoleta, mas a democracia real ganhou um novo papel, pois ela está focada no capital cognitivo (conhecimento),pode reverter o mundo da produção (basta juntar um grupo de pesquisadores e publicar trabalhos de energia alternativa, combustíveis alternativos,etc,(é o que faço dentro de uma equipe). Tudo isso pode implicar em uma busca alucinante para privatização da educação, principalmente técnica e acadêmica, pois esta é a fonte do capital cognitivo. 
No entanto, resta um grande problema: a crise ambiental, o poder de manipulação dos dados da genética, (ver a monsanto,que rouba essas tecnologias dos indígenas) pode levar a humanidade á bancarrota e à extinção; o vírus da Aids é um bom exemplo: abelhas africanas cruzadas com as nossas, que  depois fugiram matando muita gente); outro exemplo foi a crise de 2008, que queimou 50 trilhões de dólares, e depois repartiu o prejuízo com os trabalhadores(veja o exemplo da Grécia, Itália, Portugal,etc). Mas também veja o exemplo da Islândia, que, com A DEMOCRACIA DIRETA REAL, reverteu isso negando-se a pagar dívidas. 
Então,isto mostra que a DEMOCRACIA REAL não é uma reforma, mas uma revolução que se adapta ao mundo da pós modernidade. Se fosse no tempo de Lenin, seria reforma, mas precisamos parar de dar uma de Dom quixote e ver a realidade que mudou muito e atuar com ela. LOGO, DEMOCRACIA REAL, JÁ.