Achei um texto sobre a prisão de um revolucionário, anarquista e amigo de Lenin, o príncipe Kropotkin.
Boa leitura:

“A noite se passou sem novidades. Dei uma folheada em meus papéis, destruí tudo o que pudesse comprometer alguém, juntei minhas coisas e me dispus a partir (…) e desci rapidamente, saindo da casa. À porta não havia mais que um coche de aluguel; subi nele, e o condutor me levou ao Nevsky Prospekt. A princípio ninguém nos perseguia, e me considerei a salvo; mas em pouco tempo percebi que vinha uma outra carruajem correndo a toda velocidade atrás da nossa, e tendo que diminuir sua marcha o cavalo que conduzia-nos, a outra tomou nossa dianteira. E eu vi com surpresa um dos dois tecelões que haviam sido detidos, acompanhados de outra pessoa. Me fez sinal com a mão, como se tivesse algo a me dizer, e eu ordenei ao cocheiro que parasse. Talvez – pensei – tenha sido posto em liberdade e tenha algo importante a me comunicar. Mas tão pronto nos detivemos, o que acompanhava o tecelão – era um policial – gritou: “Senhor Borodin, príncipe Kropotkin, está preso!” Fez um sinal aos guardas, abundantes nas principais ruas de São Petersburgo, e ao mesmo tempo saltou em meu coche e me mostrou um papel com o selo da polícia da capital, dizendo ao mesmo tempo: Tenho ordem de conduzi-lo perante o governador geral para que deis uma explicação”.