Como são poucos os que conseguem entender que a Igreja somos nós e que, ao se chegar a este entendimento, não se precisa mais estar dependente de templos feitos por mãos humanas. Poucos é muito pouco, é melhor dizer raros.